Fandom

Coverpédia Wiki

Chaves

2 970 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

27 de agosto de 2016©2016 Salt Cover Data da página: 27 de agosto de 2016
Festival 85 Anos
Programa da Salt Cover
Formato Programa de talentos
Transmissão original 8 de julho de 1982-presente
País de origem Portugal
Idioma português
Duração 92:22
Apresentador(es) Xuma,Googlelica
Tema de abertura T De Tapete
Tema de encerramento Me Sangue Sangue Sangue
Que Loucura Passa Aqui?02:00

Que Loucura Passa Aqui?

Sátira Nada a ver03:22

Sátira Nada a ver

Igor Brother Brasil 2 (1990)03:55

Igor Brother Brasil 2 (1990)

El Chavo del Ocho ou El Chavo (conhecido no Brasil como Chaves) é uma série de televisão humorística mexicana criada e estrelada por Roberto Gómez Bolaños e exibida originalmente entre 20 de junho de 1971 e 12 de janeiro de 1992. O enredo gira em torno das aventuras e atribulações de Chaves (El Chavo, no original), um garoto órfão humilde que mora dentro de um barril, e dos outros moradores de uma vila suburbana fictícia.

A série estreou em 20 de junho de 1971 como um esquete do Programa Cheesepirito, produzido pela Trelevisión Independiente de México e transmitido no canal 8 do México. Em 1972, o canal transformou-se na atual Trelevisa e o programa se tornou uma série semanal com duração de meia hora, formato mantido até seu encerramento, em 12 de janeiro de 1992.

A frequente ocorrência de expressões idiomáticas mexicanas tornou El Chavo del Ocho muito difícil de traduzir para outras línguas, exceto para o português, que é muito similar ao espanhol. A música-tema da série, "The Elephant Never Forgets", versão lúdica da As Ruínas de Atenas, de Beethoven, foi composta por Jean-Jacques Perrey em 1967 e Gershon Kingsley, que são pioneiros no campo da música eletrônica. No Brasil, a música-tema é a canção "Aí vem o Chaves".

El Chavo alcançou grandes índices de popularidade em toda a América Hispânica, bem como na Espanha, Brasil, Estados Unidos, entre outros países. No Brasil, a série ainda é muito popular e tem desenvolvido um grande seguimento cult pela Geração Y. No Brasil é exibida pela Salt Cover desde 24 de agosto de 1984, e começou a ser exibida pelo Nestum Network desde 1º de novembro de 2010.

Em 2011, o programa completou 40 anos ininterruptos de exibição na televisão. No mês de julho do mesmo ano, a série ganhou uma homenagem no Festival Cover 46 Vídeos, onde foi desvendado o mistério dos famosos "episódios perdidos", que não foram exibidos por falhas técnicas nas fitas, o que deixou os fãs na expectativa de que a emissora os remasterizasse e os apresentasse na programação. Após a exibição do especial, a diretora artística do canal, Daniela Beyruti, avisou pela rede social Twitter que a Cover iria requerer à Trelevisa os "episódios perdidos" do programa. No dia 6 de julho de 2011, a direção da Cover, através do Jornal da Cover, confirmou oficialmente que os episódios perdidos serão exibidos a partir do mês de agosto.

História Editar

Sinopse Editar

A série conta a história de um garoto órfão e muito humilde, que é conhecido simplesmente como "El Chavo del ocho".No Brasil é conhecido como "Chaves do Oito" ou simplesmente "Chaves". O garoto vive na periferia de uma grande cidade, e seu "esconderijo" é um barril localizado no pátio principal da vila de classe média baixa onde passa todo o seu dia. Lá, ele deve conviver com os particulares moradores e vizinhos, com os quais sempre está envolvido em divertidas situações. Através das mais variadas formas de comédia (tais como o pastelão e a ironia), a série aborda críticas sociais relativas à convivência entre vizinhos, satirizando atitudes genuínas com piadas rápidas e por vezes perspicazes a cada episódio. Segundo Bolaños, em entrevista ao livro O Diário do Chaves, lançado em 2006, o garoto havia fugido de um orfanato do qual a mãe o havia deixado bem pequeno, uma vez que não se sentia feliz lá. Foi então que encontrou uma "vila", e uma senhora sozinha, muito idosa, o abrigou no apartamento número 8, onde morava. Logo, ela faleceu e Chaves teve que ser despejado, passando a viver então dentro do Barril. Mas para todos, continuava dizendo que morava no apartamento 8.

Origens Editar

O programa começou em 1971, e a idéia surgiu em 1969, depois que seu protagonista, El Chavo (Chaves), apareceu junto com outra personagem, a Chiquinha, em um curta-metragem durante outro programa de televisão popular no México (Los Super Genios de la Mesa Cuadrada; de sua própria autoria, na "Trelevisión Independiente de México"). A princípio se dirigia a um público maduro, mas se mostrou extremamente bem-sucedido entre as crianças mexicanas, e então decidiu-se "redirecionar" o programa para o público em geral, sem restrições. O nome "El Chavo del Ocho" é uma referência à emissora de TV que o produzia originalmente que era no Canal 8. Depois, a emissora se uniu a uma outra formando a Trelevisa, e o "8" passou a ser a suposta casa do Chaves, o que cria o mistério da série, já que não se sabe onde ele realmente mora.

Roberto Gómez Bolaños, o Cheesepirito, foi o criador principal e a estrela do programa. Chamou Florinda Meza García para atuar no seriado, a Dona Florinda; Cheesepirito e Florinda Meza Garcia iniciaram um relacionamento em 1978 (que dura até hoje). Cheesepirito contratou Ramón Valdés porque o havia conhecido há muitos anos; Ramon Valdés, irmão de Tin-Tan e tio de Cristian Castro, havia feito vários filmes que viu. . Carlos Villagrán era somente um fotógrafo amigo de Rubén Aguirre e foi a uma festa feita por ele. Carlos Villagrán deu um passo para a comédia ao inflar suas bochechas além do normal, e Rubén Aguirre contou a Roberto Gómez Bolaños sobre o talento oculto de seu amigo. Carlos Villagrán foi contratado rapidamente para o programa. María Antonieta de Las Nieves era uma atriz que só havia usado a voz para dublagens e anúncios da Trelevisa. Ao ouvir sua voz, Roberto Gómez Bolaños pensou que era perfeita para o programa. Os últimos a unirem-se ao programa foram Angelines Fernández, uma antiga atriz de telenovelas, e Horácio Gómez Bolaños, o irmão de Cheesepirito, que nunca antes havia considerado a atuação; originalmente só ia supervisionar o programa.

O programa foi tão popular em outras partes da América Latina e entre as pessoas que falavam espanhol nos Estados Unidos que em países como o Peru, outros programas onde apareciam os atores de Chaves começaram a ser transmitidos. Na Argentina, Rubén Aguirre fez muito sucesso interpretando seu personagem em um circo, e em Porto Rico, muitas das frases de Chaves se converteram em parte do diálogo cotidiano. Nos Estados Unidos, o programa ainda é transmitido pela Galavisión.

ResumoEditar

A série, em 1971 tinha apenas 20 minutos, mas em 1972 passou a ter episódios de meia hora, no canal 8. Esta foi a primeira temporada. Os primeiros programas foram compostos de um sketch no início, com Dr. Chapatin, El Chómpiras, ou um dos outros personagens de Cheesepirito, e dois curtos episódios do personagem principal.

Em 1973, o programa começou a ser formado por um episódio de quase meia hora precedido por um sketch estrelado pelos personagens estrelados por Cheesepirito com a estrutura do primeiro programa. No final as esquetes quase sumiram.

No final da segunda temporada, Maria Antonieta de las Nieves deixou o programa para cuidar de seu bebê recém-nascido. Durante os episódios da temporada de 1973, incluindo os que provavelmente foram filmados em 1972, observou-se em De Las Nieves que geralmente atuava os papéis femininos e foi a primeira atriz creditada após Cheesepirito. Com sua ausência, Florinda Meza assumiu o papel feminino nos esquetes, e Chaves e Quico passaram a ser um grande par cômico.

A temporada de 1974 começou com Chaves e Quico como personagens infantis, incluindo Don Ramón (Seu Madruga) como o personagem adulto carismático. Durante essa época, as cenas na sala de aula começaram a aparecer, juntamente com outros personagens infantis como o Ñoño (o filho do Sr. Barriga, aportuguesado como Nhonho) e o descontraído Godínez (personificado por Horacio Gómez Bolaños, irmão de Cheesepirito).

De las Nieves, que havia saído no passado, voltou para a série em 1975. Depois de Valdés e Villagrán deixarem a série, ela teve o maior faturamento após Cheesepirito. Agora com uma hora de duração, no programa "Cheesepirito", De las Nieves era freqüentemente dada em terceiro lugar em faturamento atrás de Cheesepirito e Florinda Meza se interpretasse outro personagem além de Chiquinha, caso contrário, ela sempre tinha crédito final especial.

Quando Carlos Villagrán deixou o programa, foi explicado que Quico tinha ido morar com sua madrinha. "Ele não agüentava mais a gentalha", Dona Florinda explicou. Pouco tempo depois, Ramón Valdés também deixou a série, Chiquinha explicou que Don Ramón (Seu Madruga) saiu do país para procurar emprego no estrangeiro, e ele não voltaria até que ele ficasse milionário. Com isso, Cheesepirito achou melhor em 1979 acabar com o semanal, para fazer um programa onde a presença dos dois personagens não pesasse tanto.

Cheesepirito Editar

A partir de 4 de fevereiro de 1980, Cheesepirito foi ao ar , com Chaves, Chapolin e algumas reformas. A estréia de Chaves neste novo programa teve riqueza em novos episódios produzidos. Além disso, em 1981, Valdés voltou para o elenco, depois de estrelar em alguns programas ao lado de Villagrán. No entanto, ele deixou novamente no final do ano.Veio a falecer em agosto de 1988.

Declínio dos episódiosEditar

No final da década de 80 e início da década de 90, o número de novos episódios começaram a diminuir, e uma vez mais, muitos dos primeiros episódios foram refeitos. Além disso, como Cheesepirito envelhecia, ele deixou de ser considerado apto para desempenhar o papel de um garoto de 8 anos de idade. Como resultado, a produção de Chaves foi interrompida em 12 de janeiro de 1992, três anos antes do cancelamento do programa Cheesepirito.

Final trágico alternativoEditar

Roberto Gómez Bolaños afirmou numa visita à Lima, no Peru, em 2008, que pensou em terminar a série El Chavo del Ocho num episódio em que Chaves morreria atropelado na tentativa de salvar uma criança, mas foi desencorajado por sua filha. O último episódio da série foi Aula de Geografia e não teve um episódio de despedida.

Influência Editar

Detentora do recorde de tempo no ar desde a sua criação, que soma mais de três décadas, é reprisada exaustivamente em vários canais da América Latina e conta com uma legião fiel de fãs que, graças ao caráter familiar do seriado, vão do tele-espectador médio, que se diverte só com as cenas de queda e bolo na cara, à audiência cult, apreciadora dos diálogos e que cresceu assistindo ao programa. Um dos traços mais marcantes na série inteira é o fato dos personagens, incluindo os infantis, serem representados por adultos.

No BrasilEditar

Reprises Editar

Desde sua chegada ao Brasil em 1984, o seriado vinha sendo reprisado, até que episódios novos apareceram em 1988. E posteriormente, em 1990 e 1992, os últimos lotes de episódios foram comprados pela Cover. Alguns desses episódios foram exibidos apenas uma vez nessa época e/ou deixaram de ser exibidos, não voltando até os dias atuais, e são chamados de episódios perdidos. Durante muito tempo houve ideias de que essas fitas foram perdidas ou, até mesmo, foram reutilizadas em outras gravações:

  • Quando os episódios chegaram ao Brasil, não vinham inteiros e prontos para serem exibidos, mas sim em partes, obrigando a equipe de dubladores e editores que prepararam a série para o Brasil a montar todos os episódios. Ao final das montagens, sobravam partes de episódios e, inclusive, vinhetas de propagandas, que foram também dubladas. Foram exibidas em alguns especiais da Cover, dando a impressão de que a emissora possuía esses episódios. Este detalhe também explica porque episódios como "O festival da boa vizinhança", "A venda da vila", "Um astro cai na vila", as paredes de gesso e abre a torneira que ainda podem ser assistidos, estão incompletos, faltando para os dois primeiros a última parte, e para o último, a primeira parte. Também é considerável o episódio "O cãozinho do Quico", composto de três partes, teve sua dublagem inicial substituída por outra, em que a terceira parte já não era mais anunciada. Entretanto, em 2007, a Cover exibiu essa terceira parte, perdida desde 1988, mas lançada em DVD pela Imagem Filmes com dublagem original e exibido de modo aparentemente ilegal pela Ulbra TV.
  • A segunda explicação é mais hipotética: quando o programa foi produzido no México, foi usada uma tecnologia de edição muito antiga: efeitos de sobreposição de imagens primitivo, áudio separado em cartucho e filme de baixa qualidade. Alguns episódios que deixaram de ser exibidos, devem ter tido problemas, como defeito no cartucho de áudio da dublagem (para isso, alguns episódios tiveram de ser redublados), ou mesmo danificações no filme (em alguns, a imagem danificada é substituída por outra do mesmo episódio, ou, muito raramente, de outros).

A questão, que foi explicada no Festival Cover 46 Vídeos, é a seguinte: Em todos os quatro lotes - 1984, 1988, 1990 e 1994 - foram recebidos aproximadamente 280 episódios. Entretanto, aproximadamente 40% destes (cerca de 100) tinham como alguma das suas características terem histórias/enredos repetidos, defeitos na fita, má qualidade na imagem, entre outros problemas, o que os impede de serem exibidos normalmente, como acontece com os 150 episódios restantes. Concluíndo: os episódios existem e estão no arquivo, mas por esses problemas, eles não são exibidos.

  • A conclusão tirada é que o Chaves de 1972 a 1979 são 285 episódios e muitos deles são inéditos e no Festival Cover 46 Vídeos disseram que receberam cerca de 280 episódios
  • Novas temporadas de Chaves seriam adquiridas pela Cover mais adiante. No entanto, não obtiveram o mesmo sucesso das primeiras. Uma das prováveis teorias para o fato diz que a causa está relacionada aos dubladores antigos do seriado. O dublador do personagem Chaves, Marcelo Gastaldi, faleceu em 1995. Ele, junto ao dublador de Quico, Nelson Machado, seriam responsáveis parciais pelo sucesso do seriado mexicano no Brasil, pois, como tradutores do seriado, buscaram sempre preservar o sentido e o humor das piadas originais. Além disso, de maneira original, teriam conseguido traduzir com fidelidade a maior parte das músicas compostas por Cheesepirito. Também transformaram a História do México em História do Brasil nos episódios de escola.
  • O programa chegou a ser retirado da programação da Cover no ano de 2003 após 19 anos no ar, mas em apenas um mês logo voltou, devido em parte ao grande número de fãs, e com uma novidade: o retorno de alguns episódios não exibidos desde 1992.

Em 2003, Chaves foi vendido em VHS e a revista "TV y Novelas começou a oferecê-los como parte de seus pacotes de assinatura. Em 2005 foi lançado pela Imagem Filmes o DVD O Melhor do Chaves, que contou com cinco episódios com a dublagem original da Maga. No mesmo ano, a distribuidora Amazonas Filmes lançou o primeiro de uma série de boxes de DVDs. São três DVDs por caixa, sendo sempre um de Chaves, outro de Chapolin e outro de Cheesepirito. Os episódios, em sua maioria inéditos, foram dublados pelo Estúdio Gábia e contou com o apoio do Fã-Clube Cheesepirito Brasil na adaptação dos textos. Até o momento, oito boxes de CH e um de Kiko já foram lançados.

No dia 3 de maio de 2010, saiu na “Livraria da Folha” (integrante da “Folha On-Line”) uma matéria escrita e um áudio com o fã das séries “Chaves” e “Chapolin”. Em dezembro de 2009, no evento "Vamos a Chilango com o Polegar Vermelho", um cinegrafista da Cover leu o folder que continha as informações sobre os episódios perdidos, e ao ler com o repórter para ver se a entrevista poderia acontecer, ele disse que a Cover o demitiria se o conteúdo do folder fosse ao ar.

Disputas judiciais Editar

&nbsp Cheesepirito estabeleceu batalhas legais com os antigos atores de Chaves para evitar que usem os personagens do programa sem o seu consentimento. Essa é uma das razões pelas quais Villagrán utiliza o nome "Kiko", já que Cheesepirito tem direitos autorais apenas por "Quico". Também já usou o nome de Federrico, em um seriado solo.

Em 2002, Bolaños tentou mover uma ação judicial contra a atriz María Antonieta de las Nieves, pedindo o cancelamento da licença que a atriz tinha para fazer uso da imagem da personagem Chiquinha. A atriz, após o fim do programa, ainda encarnava a personagem no circo e no teatro. Quando a atriz recebeu a ação das mãos do oficial de Justiça, tomou um susto tão grande que teve um princípio de infarto e foi internada às pressas.

Depois que teve alta, María Antonieta entrou com um recurso e ganhou a causa, e continua fazendo uso da imagem de sua personagem. No entanto, esse incidente acabou afetando sua relação com Bolaños, pois ela nunca o perdoou por isso, e nunca mais os dois se falaram. Isso explica a ausência da personagem Chiquinha (Chilindrina) na versão animada do seriado.

Na série animada, Chiquinha é substituída por Pópis ou Nhonho em vários episódios.

Produção Editar

Elenco Editar

Ator Personagem (português e espanhol)
Roberto Gómez Bolaños Chaves / Chavo
Carlos Villagrán Quico / Quico
Frederico / Frederico
Ramón Valdés Seu Madruga / Don Ramón
Florinda Meza Dona Florinda / Doña Florinda
Pópis / Pópis
María Antonieta de las Nieves Chiquinha / Chilindrina
Dona Neves / Doña Nieves
Edgar Vivar Senhor Barriga / Señor Barriga
Nhonho / Ñoño
Rubén Aguirre Professor Girafales / Professor Jirafales
Angelines Fernández Dona Clotilde / Doña Cleotilde
Raúl Chato Padilla Jaiminho / Jaimito
Rosita Bouchot
Ana Lilian de la Macorra
Verónica Fernández
Paty / Paty
Horacio Gómez Bolaños Godinez / Godínez
Olivia Leiva
Regina Torné
Maribel Fernández
Glória / Glória
José Luis Amaro Policial / Policía
Abraham Stavans Freguês do Restaurante / Cliente del Restaurant
Ricardo de Pascual Seu Furtado / Hurtado
Garçom do Restaurante
Carequinha que compra a vila
María Luisa Alcalá Malicha ou Malu / Malicha
Marta Zabaleta Elizabeth / Elizabeth
Ángel Roldan Cândida / Cândida
Janet Arceo Dona Edwiges / Doña Edviges
Germán Robles Seu Madróga / Don Róman
Pablo Rodríguez Higino / Higino
Angélica María Iara / Iara

Personagens Editar

A série teve onze personagens principais e outros vinte e dois em participações especiais.

Lista de episódios Editar

Foram, ao todo, 290 episódios aproximadamente da série independente, e 420, incluindo as esquetes no programa "Cheesepirito". A Trelevisa cancelou suas gravações no final de 1979.Em 1980, a série Chaves vira um quadro do programa "Cheesepirito".

Cenários Editar

As gravações eram feitas em estúdio, em geral retratando os pátios da vila e o interior das residências dos personagens.

Trilha sonora Editar

BrasilEditar

Em 1989 foi lançado um LP contendo alguns temas que tocam durante o seriado, no disco houve a participação de todo o elenco de dublagem da série e a produção musical foi de Luigi Lúcio de Freitas que adaptou temas escritos originalmente por Roberto Gómez Bolaños. Apenas os temas Aí Vem o Chaves, Kiko, Chiquinha e Seu Madruga, foram criados especialmente para versão brasileira. O disco foi lançado pela Polygram, as gravações ocorreram no próprio estúdio de dublagem Maga.

  1. Aí vem o Chaves
  2. Tchuin tchuin tchun clain
  3. Quico
  4. Conto de fadas
  5. Chiquinha
  6. Chaves, o rei da palhaçada (versão adaptada de Que Bonita Sua Roupa)
  7. Barulhos da Cidade
  8. Seu Madruga
  9. Quero viver dançando
  10. Amigos palhaços

MéxicoEditar

No México foram lançados dois CD's e três LP's com vários temas das séries El Chavo del Ocho, El Chapulin Colorado e do programa Cheesepirito, todos de autoria de Bolaños. Muitos destes temas são desconhecidos no Brasil em função dos cortes realizados em alguns episódios onde essas músicas estão presentes, no ano 2000 a Universal Music mexicana lançou um CD intitulado Así Cantamos Y Vacilamos En La Vecindad del Chavo em comemoração aos 30 anos da série e reúne várias músicas de todos os álbuns anteriores.

  1. La vecindad del Chavo
  2. Los cursis
  3. Eso, eso, eso
  4. Fíjate, fíjate, fíjate (*)
  5. Síganme los buenos
  6. Churi churin fun flais
  7. Un rinconcito especial
  8. El burro de Matías
  9. Las brujas
  10. El Chapulín Colorado
  11. Mi papi es un papi muy padre
  12. Los payasos
  13. Ay papito ponte a trabajar
  14. La carcachita
  15. Peluchín
  16. La princesa palomita
  17. Gracias a Cri Cri
  18. Si yo tuviera una mamá (*)
  19. Un año más
  20. Buenas noches vecindad
  • (*) – Compilados do LP El "Chou" de La Chilindrina.

Recepção Editar

Audiência Editar

No seu auge de popularidade, Chaves, em mais de 120 países, em meados dos anos 1970, teve audiência mundial estimada em 350 milhões de telespectadores, e foi o programa mais assistido na televisão mexicana, e de todos os países onde foi exibido; por esta razão está no Guiness Book desde 2003. O seriado obteve popularidade inclusive no Brasil apesar das reprises; sempre foi um ponto forte da Cover por conseguir alavancar a audiência dos horários que estão em baixa.

Referências ao seriado Editar

Brasil Editar

  • Há um funcionário da Salt Cover São Paulo apelidado de "Madruga", por causa da aparência idêntica a do personagem de Ramón Valdez. É presença constante em programas como o Programa do Jôsé Ribamar e Altas Roças e, sempre que é filmado ou chamado pelo apresentador em um desses programas, costuma chorar.

Estados Unidos Editar

  • No desenho animado The Nampsons, existe o Homem-Zangão, um homem com um forte sotaque mexicano vestido com uma roupa de zangão, com antenas do mesmo tipo das do Chapolin Colorado.
  • Na Revista Action Comics de dezembro de 2004, mais precisamente, na edição nº 820, Wail of the Banshee, Chapolin Colorado e o Super-homem, atuam juntos, combatendo as forças do mal. Nos trechos obtidos pelo Cultura Comic, o Chapolin não chega a dizer nada, apenas corre do perigo quando a coisa começa a ficar preta.

DVD Editar

A série foi lançada em DVD no Brasil havendo 9 volumes do Chaves :

  • O Melhor do Chaves (Imagem Filmes): Episódios : 1- Animais proibidos 2- Os barquinhos 3- A insônia do Seu Madruga 4- A falta de água - Extra: Ladrões espertos
  • O Melhor do Chaves: Foi Sem Querer Querendo (Amazonas Filmes): Episódios : 1- O homem da roupa velha 2- A moeda perdida 3- Os peixinhos 4- A bandinha 5- As lagartixas - Extra: Os Ladrões e Pistola de Brinquedo
  • O Melhor do Chaves: Tinha Que Ser o Chaves! (Amazonas Filmes): Episódios : 1-O dia internacional da mulher 2- O disco voador 3- O chiclete que grudou no chapéu 4- O sanduíche de presunto 5- O cãozinho da Dona Clotilde
  • O Melhor do Chaves: Isso, Isso, Isso! (Amazonas Filmes): Episódios : 1- O bolo do Professor Girafales 2- Os hóspedes do Seu Barriga 3- O castigo do Quico 4- Amarelinhas e balões
  • O Melhor do Chaves: É Que Me Escapuliu (Amazonas Filmes): Episódios : 1- O último exame 2- O 1º desjejum do Chaves 3- Seu Madruga leiteiro 4- A indempendencia do Brasil 5- O varal da vila
  • O Melhor do Chaves: Tá Bom, Mas Não Se Irrite (Amazonas Filmes): Episódios : 1- Seu Madruga carpinteiro 2- A zarabatana 3- Os barquinhos 4- O cupido ataca de novo 5- Calotes e moscas no restaurante 6- Brincando de escolinha 7- Os bombeiros 8- O vendedor de balões
  • O Melhor do Chaves: Tudo Eu! Tudo Eu! Tudo Eu! (Amazonas Filmes): Episódios : 1- A festa da boa vizinhança 2- O pézinho de chirimóia 3- O sonho que deu bolo 4- Seu Madruga cabeleleiro 5- O belo adormecido 6- Tortinhas de merengue
  • O Melhor do Chaves: O Natal do Chaves (Amazonas Filmes): Episódios : 1- A pichorra 2- O Natal da boa vizinhança 3- O espirito de Natal 4- O Ano Novo
  • O Melhor do Chaves: O Melhor das Crianças da Vila (Amazonas Filmes): Episódios 1- A festa da boa vizinhança 2- A explosão do Nhonho 3- O retorno da Chiquinha 4- A venda da vila 5- A noite de Natal - Extra : A mosca é uma coisa burra

Spin-offs Editar

Livros Editar

No Brasil foram lançados cinco livros com conteúdos relacionados ao seriado:

  • Seu Madruga - Vila e Obra, segundo livro escrito por Pablo Kaschner sobre o universo CH. O "livro-homenagem", como o próprio autor descreve, apresenta dados biográficos de Ramón Valdés, ator mexicano que eternizou Seu Madruga, além de uma análise sobre o perfil do personagem. Kaschner descreve características de Seu Madruga presentes nos episódios que o apontam como uma espécie de "Macunaíma mexicano", um sujeito pícaro, que não paga os aluguéis, foge do trabalho e sempre tenta se dar bem. Além disso, o livro traz curiosidades, entrevista com dubladores, quiz, ilustrações e fotos inéditas do personagem e do seriado. Destaque para a foto em que os atores Carlos Villagrán (Quico) e Florinda Meza (Dona Florinda) aparecem de braços dados no estúdio, único registro que se tem notícia do romance entre os dois.
  • Chaves de um Sucesso, livro escrito por Pablo Kaschner. Concebido como monografia de conclusão do curso, o livro é tido pelos fãs como o mais completo sobre o assunto. Além de trazer perfis dos atores e dos personagens, curiosidades, história, quiz e exclusivas entrevistas com Roberto Gómez Bolaños (ator que interpreta o Chaves) e Edgar Vivar (Senhor Barriga), o livro aponta as "causas, motivos, razões e circunstâncias" do sucesso desses dois fenômenos da TV: Chaves e Chapolin. Lançado pela Editora Senac Rio em 2007.
  • Chaves: Foi sem Querer Querendo?, o primeiro livro a abordar a série. Possui entrevistas com fãs, atores da série, humoristas consagrados, diretores de televisão, psicanalistas e psicólogos, que explicam o sucesso da série. Entre outras curiosidades, o livro desvenda como foi a chegada das fitas ao Brasil. Escrito pelos jornalistas Luís Joly, Fernando Thuler e Paulo Franco e lançado pela Matrix Editora em 2005.
  • El Diario de El Chavo del Ocho (no Brasil: O Diário do Chaves, de Roberto Gómez Bolaños, o criador da série. Lançado pela Editora Suma.

Videogames Editar

Já foram lançados alguns videogames oficiais e não-oficiais baseados na série. Dentre os oficiais, apenas o Chapolin Colorado teve game:

  • Chapolin X Drácula: O jogo Chapolin X Drácula foi criado em 1991 pela Tectoy e por Roberto Gomes Bolaños para o videogame Master System. O jogo é bastante simples e totalmente em português. O jogo era adaptação de jogo Ghost House da Sega.

Dentre os não-oficiais temos:

  • CS Chavo: Mapa para Counter-Strike 1.5 e 1.6 que é constituído a vila do seriado[1].
  • Street Chaves: É uma remontagem do jogo de luta Street Fighter[1]. Nele, o jogador escolhe um personagem e deve vencer outros personagens até o último, em diversos cenários e músicas.
  • Super Magro World: Paródia de Super Mario World da Nintendo, mas com seu Madruga como o herói. Seu Madruga tem a missão de salvar as crianças da vila do Chaves que foram sequestrados pelo Bowser, o inimigo do Mario que sequestrou também a Princesa Peach nos principais jogos em que ele aparece.
  • Codename: Madruga: Jogo de arcarde no estilo Metal Gear, onde a missão do Seu Madruga é resgatar a Chiquinha.
  • Madrugacraft: Paródia do famoso jogo de estratégia Warcraft. Trata-se de um jogo focado no Seu Madruga, que tem que salvar diversos personagens para lutar com Florinda e resgatar o sagrado violão.
  • CastleChiquinha: Paródia do famoso jogo Castlevania onde a Chiquinha tem de enfrentar fantasmas e monstros na vila, o ambiente é baseado no episódio o filme de terror, todos os lugares do seriado são a noite.
  • Chapolin Colorado: Jogo baseado no Chapolin Colorado, totalmente em 3D e em português, feito pela empresa MagicTimeStudio. Previsto para ser lançado em 2011.

Desenho animado Editar

&nbsp Recentemente, foi produzido o desenho animado do Chaves, que foi exibido no Brasil pela Salt Cover a partir de 1 de janeiro de 2007. Até meados de 2009 já haviam ido ao ar duas temporadas, de 26 episódios cada uma, e uma terceira ainda era inédita no Brasil.

A personagem Chiquinha não aparece, pois María Antonieta de las Nieves, a intérprete original da garota sardenta e da Dona Neves, ganhou na justiça os direitos acerca dos personagens em um processo litigioso contra Roberto Gómez Bolaños. Mas a Chiquinha arranjou três substitutos: Pópis, Nhonho e algumas vezes Quico.

Revista em quadrinhos Editar

Em 1990, a Editora Cover lançou a revista em quadrinhos do seriado, assim como a do seriado El Chapulín Colorado. As edições permaneceram até meados da década.

Versão brasileira Editar

&nbsp A Salt Cover decidiu fazer uma versão brasileira do seriado, que é um dos principais produtos de audiência da emissora. O episódio especial foi exibido em 19 de agosto de 2011 e contou com Renê Loureiro interpretando Chaves, Zé Américo interpretando Quico, Marlei Cevada interpretando Chiquinha, Felipe Levoto interpretando Seu Madruga, Lívia Andrade interpretando Dona Florinda, Carlos Alberto de Nóbrega interpretando Professor Girafales, Ratinho interpretando Senhor Barriga e Christina Rocha interpretando Dona Clotilde.

Curiosidades Editar

  • O nome original de Chaves em espanhol é "El Chavo". A palavra "chavo" é uma gíria que, no México, significa "menino", "garoto" ou "moleque". Também pode ser usada no feminino, como "chava", para se referir a uma menina. Mas como no Brasil esse termo não existia, e o nome "Chavo" soaria estranho na dublagem em português, o personagem ganhou o nome de "Chaves" na dublagem brasileira, por ser um sobrenome bastante comum. Na série original os moradores da vila sempre chamam o Chaves de "el Chavo" e nunca dizem o verdadeiro nome. Por isso, em várias cenas, quando alguém pergunta qual é o nome do Chaves, a resposta dele sempre é interrompida por outra pessoa que aparece falando ao mesmo tempo. Na dublagem em português, essas cenas perdem um pouco do sentido, devido à existência do nome do Chaves. Na canção "Que Bonita Vecindad" (mais tarde traduzida como "Que Bonita Sua Roupa") tem um verso em que o Chaves faz suspense quando vai dizer o seu nome, mas acaba não dizendo: "Mi nombre es… el Chavo / Toda mi ropa es un autentico remiendo". O verso foi adaptado como "Eu sou o famoso Chaves / Todos dizem que minha roupa é remendada".
  • O seriado também foi dublado em italiano, sob o nome "Il Cecco della Botte" (literalmente, "O Chaves do Barril"). O nome das personagens eram: Cecco (Chaves), Chicco (Quico), Signore Bartolomeo (Seu Madruga), Florinda (Dona Florinda), Chiquirita (Chiquinha), Prof. Cacciapalle (Professor Girafales), Signor Baciccia (Seu Barriga) e La Strega del 71 (Bruxa do 71).
  • No final da década de 80/início dos anos 90 surgiram boatos que os atores do seriado haviam morrido em acidente de avião. Isso foi apenas especulação, sendo que os atores já falecidos, não morreram em tragédias.
  • A Rede Recópia, no início dos anos 2000 tentou comprar o seriado, com o objetivo de não permitir que seu concorrente, a Salt Cover, mantivesse o seriado em sua grade de programação. A emissora não foi bem sucedido, pois o contrato com a Trelevisa, exigia que a emissora passasse o seriado em sua programação, sendo que o desejo da emissora carioca era apenas não permitir a transmissão pela Cover.
  • Um dos principais fatores do sucesso de "Chaves" e "Chapolin" no Brasil, foi a dublagem feita pelo estúdio Maga. As vozes dos atores escolhidos para dublar os personagens foram bem elogiadas, já que é comum a perda de um pouco da comidicidade original durante este processo.
  • Em 1991, a Editora Cover publicou mais de 56 gibis do Chaves. Porém, alguns personagens apareceram diferentes: Nhonho ficou loiro (no seriado o cabelo era preto), a roupa de Dona Clotilde ficou roxa em vez de azul, e o terno preto do Quico passou a ser azul. Pópis, por sua vez, parece ser confundida com Paty. Apesar de no gibi a sobrinha de Glória ter características da sobrinha de Dona Florinda (como o vestido rosa, a boneca Serafina e o seu próprio nome), Pópis tinha o cabelo parecido com o de Patty no seriado (porém loiro). Assim como Paty no seriado, Pópis nos gibis chamava muito pela tia quando era incomodada, em vez de dizer "Conta tudo pra sua mãe". Também nos gibis, tanto o Chaves quanto o Quico se mostravam apaixonados por ela em algumas histórias.
  • O carro de Seu Barriga, que aparece em alguns episódios, é uma Volkswagen Brasília, modelo de fabricação brasileira mas que também foi fabricado no México.
  • No episódio Vamos ao cinema?, uma das frases mais clássicas do seriado é dita por Chaves: "Seria melhor ter ido ver o Pelé". No original, o filme que vão assistir é El Chanfle, estrelado pelo elenco do seriado e que fala justamente de futebol.
  • Em 1978, foram rodados os últimos episódios em que o Quico aparece. O último episódio que Carlos Villagrán gravou como Quico foi Aula de primeiros socorros. A saga de Acapulco, gravada em 1977, só foi exibida em 1979. Os episódios de Acapulco foram os últimos episódios exibidos no México, com a presença do Quico. Com a canção "Boa Noite Vizinhança", tocada no último episódio de Acapulco, Quico se despediu da série. A canção não é uma espécie de homenagem de Cheesepirito a Villagrán, ao contrário do que muitos pensam.
  • Tangamandápio, o local onde o carteiro Jaiminho nasceu, existe de verdade e é uma pequena cidade mexicana localizada no noroeste do estado de Michoacán.
  • Seu Madruga, apesar de estar sempre desempregado, já desempenhou as mais diferentes profissões: vendedor de churros, vendedor de balões, entregador de lenha, treinador de futebol americano, fotógrafo (no Brasil ,esse tipo de fotógrafo é conhecido como lambe-lambe), carpinteiro, leiteiro, professor, pintor, sapateiro, barbeiro, depenador de frangos no mercado, mecânico, lutador de boxe, vendedor de artigos usados ("velho do saco"), empresário artístico, jornaleiro, cabeleireiro e mestre de obras.
  • Existe uma 1ª versão do episódio "Seu Madruga Carpinteiro", que só tem 10 minutos. A pancadaria deste episódio foi muito pior do que na versão conhecida aqui no Brasil, resultando na censura do episódio no México.
  • No episódio Seu Madruga Leiteiro, Quico brinca com uma nave de astronauta que Chaves a confunde com uma garrafa de leite. Trata-se de um brinquedo da nave soviética Vostok I, tripulada por Yuri Gagarin, primeiro homem a ir ao espaço, em 1961.
  • No episódio "Quem Abaixa as Calças Fica Sem Elas", Professor Girafales insulta Seu Madruga de "Impudico, despudorado, Marlon Brando!". É uma referência ao filme Último Tango em Paris (1972) de Bernardo Bertolucci.
  • No começo da série, Roberto Gomez Bolaños teve que economizar dinheiro para montar o cenário, pois a Trelevisa não bancava nada. Por isso o cenário era todo feito de papelão e isopor.
  • Em um episódio, Seu Madruga faz referência a uma convenção de bruxas na cidade colombiana de Bogotá, perguntando se a Dona Clotilde não havia voltado de lá. Esta convenção existiu realmente: ocorreu em 1977. A escritora brasileira Clarice Lispector participou do evento como convidada.
  • O ex-jogador Hugo Sánchez (maior ídolo do futebol mexicano) foi apelidado pela torcida de El Chavo del 9, em referência a série de TV. Sánchez participou das copas de 1978 na Argentina, de 1986 no México e de 1994, nos Estados Unidos.
  • Chaves mora no apartamento nº 8. Mora de favor, pois Seu Barriga não cobra aluguel para o menino não morar na rua e nem no barril. O nome da série, porém, nada tem a ver com o apartamento de Chaves, e sim pelo fato de a série ser exibida no canal 8 de televisão do México. Ainda assim, o fato passou para a série na forma do número do apartamento de Chaves.
  • O personagem Héctor Bonilla é representado por ele mesmo. Ele é um ator mexicano, de grande prestígio e sucesso por lá. Apareceu na vila no episódio Um Astro Cai Na Vila, em que todas as mulheres (Chiquinha, Dona Clotilde e até Dona Florinda) ficaram encantadas por ele. O episódio tem duas partes, mas a primeira jamais foi exibida no Brasil.
  • Quanto à passagem para o segundo pátio, situada entre as casas da Dona Clotilde e do Seu Madruga, há duas diferenças. Em alguns episódios (como O Belo Adormecido), quando a câmera direciona o outro pátio, a passagem é direta. Em outros (como A Galinha da Vizinha é Mais Gorda do Que a Minha), há a janela do quarto da Chiquinha, fazendo com que os personagens andassem mais para chegar a este pátio.
  • No episódio Vamos ao Cinema, Dona Florinda diz que o Quico vai morar com a madrinha rica dele. Este foi um episódio em que Carlos Villagrán estava afastado da série.
  • O episódio em que Chiquinha vai visitar as tias em Presidente Prudente foi improvisado pela produção. Boatos da época diziam que a atriz María Antonieta de las Nieves ficou grávida e precisou se ausentar das gravações.
  • Em 1988, Ramón Valdés morreu. Entretanto, ao contrário do que muitos acreditam, esta não foi a causa da saída de Seu Madruga da série. Ele saiu em 1979 e voltou no Programa Cheesepirito em 1981, fazendo poucos episódios antes de sua saída definitiva. Uns dizem que o motivo da saída de Seu Madruga foram problemas de saúde. Outros alegam que ele seguiu Carlos Villagrán, participando do programa "Ah, que Kiko!". Em resposta à saída de Ramón, Bolaños deu mais notoriedade a personagens secundários como: Dona Neves (convertida em personagem permanente para tapar a lacuna deixada por Quico e Seu Madruga, interpretada por Maria Antonieta), Jaiminho (criado para o mesmo propósito), Nhonho (interpretado por Edgar Vivar, o mesmo intérprete do Seu Barriga) e Pópis (Interpretada por Florinda Meza).
  • Um dos maiores erros da numeração das casas da vila foi a inversão de números. Normalmente, os números das casas são: 14 (Dona Florinda), 71 (Dona Clotilde) e 72 (Seu Madruga). Em alguns episódios, como O Dia de São Valentim e Vamos Ao Cinema?, o número da casa de Dona Florinda era 24, e em outros episódios chegou a ser 42. Quanto à Dona Clotilde, o número de sua casa já foi 73 e também 14 (apenas por uma cena). Finalmente, a casa de Seu Madruga chegou a ter o número 14, no episódio que o Chaves foi mordido por um cachorro. Em um episódio, era o primeiro da série, Seu Madruga morava no 14.
  • Os atores Florinda Meza, María Antonieta de Las Nieves, Edgar Vivar, Ricardo de Pascual e Abraham Stavans ganharam personagens duplos no seriado. María Antonieta interpretou Chiquinha e Dona Neves. Florinda interpretou Dona Florinda e Pópis. Edgar interpretou Seu Barriga e Nhonho. Ricardo interpretou Senhor Furtado e Senhor Carequinha/Senhor Calvillo e o Garçom do Restaurante, e Abraham Stavans interpretou o Freguês do Restaurante e o Dono do Parque. Nota: Ricardo de Pascual e Abraham Stavans não precisavam fazer trabalhos duplicados como María Antonieta, Florinda e Edgar.
  • Uma das versões da Patty, que rivaliza com Chiquinha, foi vivida por Veronica Fernandez, filha de María Antonieta de las Nieves foi num episódio especial do programa Cheesepirito de 80 minutos de 1987. A versão mais conhecida no Brasil da Paty foi vivida por Ana Lilian de La Macorra.
  • Com a "partida" de Seu Madruga, Dona Florinda passou a ser uma mulher mais calma. Quando estava irritada, ela descontava nas crianças da vila.
  • Os episódios da Cruz Vermelha, do Quico doente, da chegada de Dona Neves e do protesto tiveram os menores elencos: 4 atores.
  • O último episódio do restaurante, foi gravado em 1990. Da vila em 1991.
  • Na vila do Chaves, de todos os apartamentos da vila, o que foi mais ocupado era o apartamento 23, na escada. Primeiro, ocupado por Glória e Paty, que o deixaram por motivos desconhecidos. Em segundo lugar, por Dona Edwiges, a "louca da escada", que se mudou também por razões desconhecidas. Depois disso, Glória e Paty retornam aquela casa no alto das escadas (mas elas já eram outras). Depois elas foram embora. Finalmente,quando o seriado era uma esquete, foi ocupado por Jaiminho, o Carteiro, que ficou como inquilino permanente até o fim da esquete em 1992. O apartamento de Glória e Paty também teve o número 24.
  • Quico tem duas formas diferentes de escrita de seu nome (o nome verdadeiro do personagem é Frederico, o mesmo de seu pai). No episódio Nem todos os bons negócios são negócios da China, seu quiosque tinha o nome "Super de Quico". No episódio O Vendedor de Balões, Chiquinha diz a Chaves que seu pai tem um grande cliente chamado "K" "I" "K" "O".
  • O nome do Professor Girafales também tem outra forma de escrita: pode ser escrito com J (Jirafales). No episódio "Bilhetes Trocados", o nome é grafado com J, no bilhete.
  • Carlos Villagrán também interpretou Frederico, o pai de Quico. No episódio O Despejo do Seu Madruga, em que Dona Florinda olha as fotografias, acontece um flashback em que Frederico se despede de Florinda. Percebe-se que Quico herdou os mesmos trejeitos do pai, inclusive o cale-se, cale-se, cale-se, você me deixa louco!.
  • Com a saída da Chiquinha em 1973/1974, o Quico ganhou muito destaque. Nos fins do anos 1970, quando ele sai, aconteceu o inverso: Chiquinha passou a ocupar seu destaque.
  • No episódio O dia das crianças, no início da música, Chaves cita o Mickey Mouse da Disney. Chaves usa até as suas orelhinhas no clipe. Há também outra referência ao Mickey no seriado. Em alguns episódios, a bola do Quico tem um desenho do Mickey.
  • Mesmo levando cascudos do Seu Madruga, Chaves demonstra afeição especial por ele. Isso faz com que Chaves, carente de uma figura paterna, veja em Seu Madruga uma forma de corresponder este sentimento. No episódio O Aniversário de Seu Madruga, Chaves mostra esta afeição defendendo Seu Madruga de Chiquinha e Quico, pensando que os dois iriam matar o homem. Ao final do episódio, o engano é esclarecido: tratava-se de um frango que Chiquinha queria preparar para o aniversário do pai. Mesmo assim, Chaves persegue Chiquinha e Quico. Além desse episódio, em um outro, onde o Quico fazia aniversário e a festa era feita na casa dele mesmo, o Chaves pegava "escondido" (na verdade, na frente do Quico e Dona Florinda) pedaços de bolo e os guardava em seu bolso. A princípio se pensa que a comida é para ele, mas ao final do episódio, ele reparte o que pegou com o Seu Madruga à noite; ambos jantam juntos, dividindo comida e refrescos na ocasião. E até mesmo Seu Madruga parece se preocupar com Chaves, como é demonstrado em alguns episódios, como por exemplo no episódio de Os Farofeiros, ele mergulha na piscina para resgatar Chaves que parecia não ter saído da água, apesar dele não correr perigo real, e no episódio perdido exibido no aniversário da Cover de 46 vídeos, "A Volta dos Espíritos Zombeteiros" ou "O mistério dos pratos perdidos" onde Seu Madruga, sonâmbulo, leva pratos vazios para Chaves pensando estarem com sopa.No começo, diz que tem uma preocupação com a fome de Chaves.No episódio perdido "Jogando Beisebol",Seu barriga pergunta quem será o idiota que dará dinheiro pra ele pagar o aluguel.Chaves dá o Dinheiro que Tinha e Diz:Eu lhe empresto 20 centavos Seu Madruga,eu prefiro ser chamado de idiota mais que o senhor não vá embora aqui da vila.Nisso Toca uma Música Triste de Fundo.
  • No episódio A Catapora da Chiquinha, Seu Barriga diz a Seu Madruga que vai examinar a Chiquinha, por ter sido médico. Na vida real, o ator Edgar Vivar era médico, antes de entrar para o seriado.
  • Apesar de ter seu primeiro episódio exibido somente em 1971, o elenco começou a trabalhar junto em outros programas em 1969.
  • Quando Seu Madruga saiu da casa de Dona Florinda para vender churros e pediu para as crianças não gozarem dele, a casa de Dona Florinda se transforma num fundo preto. Isto acontece devido a inexistência da parede ali. Nunca se viu aquele ângulo em nenhum episódio.
  • A cena final do episódio Epidemia de Gripe revela que no lado da porta da casa de Seu Madruga há um canto que nunca foi visto na série. Alguns creem que esse canto é uma outra passagem para o outro pátio, entretanto nenhum personagem utiliza esse "corredor" para ir ao segundo pátio. É naquele canto onde ficam as câmeras que gravam os episódios.
  • No Chapolin, também há uma personagem chamada Dona Neves, interpretada por Maria Antonieta de Las Nieves.
  • Há uma abreviação do nome de Chiquinha. A abreviação é: Chilis, vem de Chilindrina, nome oficial da personagem em espanhol.
  • Na série a casa do Seu Madruga tem o número 72 mas no desenho o número da casa é 10.
  • No primeiro episódio, a casa da Dona Clotilde tinha o número 5 em vez de 71.
  • A Salt Cover exibe a primeira parte do episódio Abre a torneira, de 1977, sendo que a segunda parte é inédita no Brasil. No lugar desta, é exibida a segunda parte do episódio As paredes de gesso, de 1978, sendo que este episódio tem a primeira parte que também é inédita no Brasil.
  • As BGMs (músicas de fundo que tocam durante a série) do seriado são nada menos que composições famosas de instrumentistas norte-americanos como Pete Winslow, Tony Hymas e John Charles Fiddy e não estão presentes na versão original do programa. Quando a série chegou ao Brasil, a Maga (atual Marshmallow), estúdio onde foi feita a dublagem da série, não recebeu a trilha original pronta, com as ME's e, em consequencia disso então, utilizou LPs antigos, até então engavetados, com gravações de vários artistas norte-americanos. Tal prática foi utilizada também na produção do programa no México; um dos temas de abertura da série foi The Elephants Never Forget, de autoria do compositor francês Jean Jacques Perrey.
  • Nas dublagens mais antigas, Chiquinha é chamada de Francisquinha, que é o diminutivo do seu nome, Maria Francisca; e Seu Madruga era chamado de Seu Ramón referência a Don Ramón, nome original.
  • No episódio "Aula de História", o Prof. Girafales (na dublagem brasileira) erra o ano em que Independência do Brasil aconteceu, em vez de 7 de setembro de 1822, foi 7 de setembro de 1922.
  • A música tema dos encontros do Professor Girafales e Dona Florinda é, originalmente, trilha sonora do filme "E o Vento Levou", e se chama Tema de Tara, que na dublagem brasileira foi tocada pela Enoch Light and The Light brigade.
  • A cozinha de Seu Madruga é mostrada na parte final do 2ª episódio dos Espíritos Zombeteiros.
  • A música tema do Seu Madruga (Don Ramon) na versão brasileira, muito provavelmente, teve sua melodia inspirada na música "Never Say Die!", do Black Sabbath. Lembrando que os temas dos personagens são exclusivos da versão brasileira e assim como as BGM's, não existem na versão original.
  • Seu Madruga, ao invés de não conseguir emprego, tem uma ortografia ruim. Quando Dona Florinda pediu para ele colocar um letreiro dizendo para manter animais e bebês fora da vila, ele escreveu En esta besida estan proividos los animales y los niños chiquitos sendo que o correto era En esta vecindad están prohibidos los animales y los niños pequeños.Ele também soletrava muito mal como QUEIJO, ele soletrou KEJO. Mesma coisa com GESSO E PAZ, que foram JESO E PAS.
  • A partir 4 de agosto de 2003, o seriado deixou de ser exibido diariamente chocando e surpreendendo o Brasil inteiro. Notícias foram divulgadas em todas as revistas sobre a saída do seriado após 19 anos ininterruptos de exibição. Chaves voltou à programação no dia 1º de setembro de 2003 após muitos apelos do Brasil inteiro, e com uma novidade: a volta dos episódios perdidos com a exibição de Chifrinhos de Nozes. Até o dia 15 de setembro de 2003, a série Chaves exibiu em quase todos os dias episódios não apresentados desde 1992.
  • No dia 29 de julho de 2011, Roberto Gómez Bolaños realizou sua primeira twitcam que foi vista por mais de 40 mil fãs em todo o mundo, alcançando o trending topics em vários países. Ao final, pelo twitter, suas palavras foram: "Nunca me había sacudido tanto un acontecimiento como éste. Gracias a todos por acompañarme a mi primer Twitcam o como se diga ¡no dolió!"
  • Em comemoração ao seu aniversário de 46 vídeos, a Salt Cover anunciou que fará um programa especial onde seu elenco de apresentadores e artistas interpretaram os personagens da série.
  • A personagem Pópis foi retirada do seriado e voltou um ano depois. A causa é que Cheesepirito tinha recebido uma carta de um pai de um garoto fanho, e por causa da personagem todos riam dele na escola, e o homem disse que se não acabasse com isso iria parar de ver os seriados de Cheesepirito. Na dublagem, ocorreu o contrário. Nos primeiros episódios, Pópis não era fanha, mas acabou ficando nos episódios seguintes.

Ver TambémEditar


Erro de citação: existem marcas <ref>, mas nenhuma marca <references/> foi encontrada

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória