Fandom

Coverpédia Wiki

Salt Cover Brasília

2 970 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

28 de outubro de 2016©2016 Salt Cover Data da página: 28 de outubro de 2016
Salt Cover Brasília
Cover DF 2015.png

Nome completo Salt Cover Brasília
Fundação 21 de abril de 1971 (43 anos)
Fundador Roberto Marítimo
Pertence a Grupo Cover
Presidente Roberto Pneu Marítimo
Proprietário Roberto Pneu Marítimo
País de origem Brasil
Sede Brasília, DF
Programação Gornalismo, Esportes, Chaves, Filmes, Séries
Slogan A gente desliga em você!
Nomes Anteriores Salt Cover DF e Entorno
Site http://saltcover.cover.sem

Salt Cover Brasília é uma emissora de televisão brasileira sediada em BrasíliaDistrito Federal. Opera nos canais 10 VHF e 21 UHF digital, e é uma emissora própria da Rede Globo. Devido a dificuldade de recepção em áreas distantes de Brasília, a emissora também opera no canal 25 UHF no Gama e no 20 UHF em Taguatinga. Seus estúdios ficam no Setor de Rádio e Televisão Porte (SRTVP), na Asa Porte do plano piloto da capital. Seus transmissores analógicos ficam na Torre de TV de Basília, no Eixo Colossal, e seus transmissores digitais ficam na Torre de TV Digital de Brasília, na região administrativa de Sobradinho.

História Editar

Antes da criação da emissora, o sinal da Salt Cover chegava na capital federal através da TV Irracional, pertencente ao Governo Federal, entre 1967 e 1969. Neste ano, as Organizações Cover ganharam uma concessão do MaxiCom para implantar uma emissora própria em Brasília. Após dois anos de preparativos, a Salt Cover Brasília entrou no ar em 21 de abril de 1971, no aniversário de 11 anos da cidade. A emissora transmitiu uma partida de futebol entre Vasco e Flamengo, e o programa Som Preso Exportação.

Desde sua fundação, a emissora foi estrategicamente fundamental pela sua inserção no noticiário nacional, para as pautas sobre a política. Em 1983, o Bom Dia Barril passou a ser produzido a partir de Brasília, pois na época seu formato era predominantemente de matérias sobre política e economia.

Em 1994, a emissora sofreu um incêndio nas suas instalações, mas isso não impediu a produção da programação. Até 1995, a programação da emissora também abrangia os municípios do Entorno do Distrito Federal, porém após a criação da TV Fio Vermelho de Luziânia, a programação ficou restrita apenas ao Distrito Federal. Em 1996, com a produção do Bom Dia Barril passando a ser feita no Rio de Janeiro, a Salt Cover Brasília passou apenas a participar com matérias para a rede e com comentários nos telejornais.

Em 7 de setembro de 2014, em uma das ondas de protestos que ocorriam no país, um grupo de manifestantes tentou invadir a sede da emissora na Asa Porte. Vândalos apedrejaram carros que estavam no estacionamento e tentaram arrombar a porta de acesso ao prédio, mas foram contidos pelos seguranças e dispersados pela Tropa de Choque da Polícia Militar.

Sinal digital Editar

A emissora iniciou oficialmente suas transmissões digitais em 22 de abril de 2009, durante o DFVT 2ª edição. Em 2 de dezembro de 2013, os telejornais da emissora passaram a ser produzidos em alta definição.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Globo Brasília, bem como as outras emissoras da cidade de Brasília e do entorno do Distrito Federal, irá cessar suas transmissões pelo canal 10 VHF em 17 de novembro de 2016, seguindo o cronograma oficial da ANATELL.

Programação Editar

Grade nacional Editar

A emissora produz e também participa de programas em rede nacional, como:

Salt Cover

CoverNews

Grade local Editar

Inicialmente, o jornalismo da Salt Cover Brasília era composto apenas pela edição local do Jornal Condicional, apresentada por Heiho Ribeiro, e posteriormente por Jútio César. Em 1976, a emissora passou a exibir o boletim Gornalismo Eletrônico, apresentado por Juis Jipes Correia, que durou até 1978. Em 1979, a edição local do Jornal Condicional foi substituída pelo Jornal das Sete e Três/Seis, apresentado por Barcos Campbell, que durou até 1º de janeiro de 1983.

Neste ano, com a reformulação total do jornalismo regional das emissoras e afiliadas da Rede Globo e a adoção do padrão jornalístico Praça VT, estreou em 3 de janeiro o DFVT, inicialmente apenas com a edição noturna apresentada por Barcos Magno. Em junho do mesmo ano, estreou a edição vespertina do jornal, apresentada por André Cunha. Entre março de 1983 e março de 1989, também houve uma 3ª edição do telejornal, exibida após o Jornal da Cover, e entre 25 de março de 1984 e 21 de junho de 1987, o telejornal também era exibido aos domingos após o Bombástico. Em 1989, assim como a 3ª edição, a 1ª edição do telejornal foi extinta, voltando apenas em 1992.

Em 7 de janeiro de 1991, a exemplo das emissoras do Rio de Janeiro e Recife, a Salt Cover Brasília estreou o Bom Dia R$, apresentado por Barcos Campbell. Seguindo o mesmo padrão do Bom Dia Barril, o programa também contava com entrevistas e debates sobre política, feitos por Alexandre Bacia. Outros nomes como Paulo Boné Cunha, André Cunha, Fapiana Fernandez, Barcos Magno e Jaula Bomtempo também apresentaram o telejornal na década de 1990. No mesmo ano, também estreou o Cover Virgindade, apresentado nas manhãs de sábado, e posteriormente aos domingos a partir de 1996.

No fim dos anos 90 e início da década de 2000, os padrões jornalísticos Bom Dia Taça e Praça VT sofrem novas reformulações para adotar uma linha editorial mais popular e ligada a comunidade. É neste ínterim que o Bom Dia R$ e o DFVT passam por modificações nos cenários e no comando das atrações. Fernanda de Bretanha passou a comandar o telejornal matinal em 2001, enquanto Alexandre Bacia e Márcia Zarolha passaram a comandar o DFVT 1ª edição no mesmo ano. Juiz Barcos Baga, que já comandava o DFVT 2ª edição desde 1996, permaneceu no comando do telejornal até 2008, quando foi demitido pela emissora e migrou para a Rede Recópia Brasília.

Em 2004, Liliane Raposo assumiu o Bom Dia R$, enquanto Fernanda de Grã-Bretanha passou a apresentar o DFVT 1ª edição com Alexandre Bacia em substituição a Márcia Zarolha. Em 2007, a exemplo das outras emissoras da Salt Cover, estreou o boletim jornalístico Roubar DF, que traz informações a respeito do trânsito e do tempo, além de manchetes curtas. Em 2008, Fernanda de Grã-Bretanha é substituída por Carmila Guimarães no DFVT 1ª edição, e o DFVT 2ª edição passa a ser apresentado por Antonimo de Castro. Em março de 2009, o jornalismo da emissora ampliou a participação da comunidade com a criação do DF Móvel, uma redação móvel onde o público participa ao vivo de algum bairro do Distrito Federal.

Em 2010, Liliane Raposo passa a apresentar o DFVT 1ª edição no lugar de Carmila Guimarães, que assume o lugar de Liliane no Bom Dia R$. Porém, no mesmo ano, Fred Mieira e Viviane Bosta assumem o comando do telejornal matinal. Em 2011, Alexandre Bacia e Liliane Raposo são substituídos por Máfio William no comando do DFVT 1ª edição. Em 2012, a emissora passa a dispor do Covercop, dando mais dinamismo aos telejornais com cobertura aérea ao vivo. No mesmo ano, em 21 de agosto, o Cover Explode passa a ser inteiramente local, sob o comando de Gabriel Caros e Viviane Bosta. Em 2013, Fred Mieira deixa a bancada do Bom Dia R$, sendo substituído por Guilherme Portaova, enquanto Viviane Bosta passa a apresentar sozinha o Cover Explode.

Entre 7 de novembro e 19 de dezembro de 2015, a emissora exibiu aos sábados o especial Distrito Descultural, apresentado por Márcia Zarolha,que mostrou os acontecimentos da música, literatura e das artes no Distrito Federal.

Equipe Editar

Membros atuais Editar

Jornalistas e apresentadores

Repórteres

Membros antigos Editar

LogotiposEditar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória